QUER UM CÃO DE RAÇA?

Desde a domesticação dos cães, o ser humano aprendeu que cruzando animais com determinadas características, os filhotes herdariam essas mesmas características. É desse modo que são criadas as diversas raças de cachorros, cruzando entre si animais com determinadas características a fim de conseguir os padrões de raça, como porte, cor, pelagem, e outras. Nesses cruzamentos selecionados, também ficam reforçados tendências a doenças e defeitos congênitos que chegam a ser verdadeiras deformidades, como: pernas curtas demais, orelhas longas demais, focinhos achatados, caras enrugadas, olhos saltados, etc. Saiba mais

  · QUER UM CÃO DE RAÇA?

Nos criatórios com fins comerciais, os cruzamentos costumam ser feitos entre animais da mesma “família”, como pais e filhos, irmãos, etc, o que leva ao agravamento do problema. Além disso, como a finalidade é obter o maior lucro possível, os animais são explorados a vida toda, geralmente mantidos em alojamentos precários, gerando uma ninhada após outra, para produzir um grande número de filhotes, que por sua vez, devem ser vendidos o mais rápido possível, após um curto período de amamentação.

Confira aqui as doenças mais recorrentes em algumas raças:
POODLES: Doenças endócrinas, tumores de mama, hidrocefalia, epilepsia.

COCKERS: Cataratas, glaucomas , doenças da retina, doenças renais, displasia coxo-femural.

PIT BULLS: Displasia coxo-femoral, sarna demodécica, rompimento do ligamento cruzado

ROTTWEILERS: Displasia coxo-femural, problemas gastro-entéricos, má formação do coração.

PASTORES ALEMÃES: Displasia coxo-femural, ataxia, epilepsia, problemas de coagulação.

LABRADORES: Displasia coxo femoral, catarata, ausência de testículo, etc.

DACHSHUNDS: Problemas de coluna, hérnia de disco, artrite, cálculos renais, tumores mamários, otites

YORKSHIRE: Endocardiose, hidrocefalia, afecções dermatológicas, câncer de testículo e de hipófise, colabamento traqueal, hiperadrenocorticismo, nefropatias, afecções urinárias, doenças oculares.
PINSCHER: Sarna demodécica, epilepsia, problemas cardíacos, luxação de patela.

SHARPEI e MASTIFF NAPOLITANO: As pregas na pele, características dessas raças, tendem a provocar dermatite, seborréia e micoses. Além disso, podem comprometer até a visão. muitas vezes necessitando cirurgias para remover pregas da frente dos olhos.

BULLDOG, BOXER, PEQUINÊS e PUG: O padrão da raça apresenta focinho curto e voltado para cima, com narinas amplas, o que torna sua respiração pesada e difícil. Com frequência apresentam mordedura prognata, prolapso dos olhos, pernas tortas.

RHODESIAN RIDGEBACK: O padrão dessa raça exige apresentar uma faixa saliente no dorso, que se forma como consequência de uma ”espinha bífida” e propicia o desenvolvimento de um quisto entre os tecidos subcutâneos e o tecido muscular, causando infecção.

GOLDEN RETRIEVER: Displasia coxo femoral, luxação da patela.

LULU DA POMERÂNIA ou SPITZ ALEMÃO ANÃO: Problemas oculares, degeneração da retina, olho seco e catarata são os mais recorrentes.

BEAGLES: Obesidade, diabetes.

SHIH TZU: Doenças oculares e renais, deslocamento da patela.

BULDOGUE FRANCÊS: Problemas respiratórios causados pelo focinho achatado.

CÃES MINIATURAS: Em vez de adquirir um cachorro de tamanho normal, muitas pessoas preferem esses cães muito pequenos, sem saber que estão contribuindo para que criadores inescrupulosos continuem produzindo animais que são verdadeiras aberrações. Extrema fragilidade física, várias características de nanismo, moleira aberta, tendência a hidrocefalia, epilepsia, e outros.

ENTÃO REFLITA: se você deseja um cão como amigo e companheiro, não deve fazer diferença que seja “de raça” ou um SRD. Amigos não se compram. Se adquirimos amigos de pessoas que lucraram com sua exploração, nossa amizade não é sincera, trata-se apenas de satisfazer uma vaidade, para ser exibido como um objeto de grife.






USPA - União Sanjoanense de Proteção aos Animais - Site administrado por: Dg3 Comunicação - www.dg3.com.br

Política de Privacidade e os Termos de Uso, informam as condições para acesso e uso do site do USPA.
Leia-os atentamente. Em caso de dúvida, escreva na seção Contato e teremos prazer em responder.